NOTA DE REPUDIO DOS PROFETAS DO ANTIGO TESTAMENTO AO SR. MINISTRO DA JUSTIÇA

(QUE CHAMOU BOLSONARO DE PROFETA)




Excelentíssimo senhor, agora Ministro da Justiça, André Mendonça, nós, profetas que atuamos fielmente e com compromisso com Deus no Antigo Testamento, viemos, por meio desta nota, REPUDIAR VEEMENTEMENTE o seu uso indevido de nosso título.


No dia 29 de Abril de 2020, em ato que celebrava a sua posse como Ministro da Justiça, o senhor se referiu ao presidente Jair Bolsonaro como “um profeta no combate à criminalidade”. Pois saiba que nunca recebemos maior insulto. E denunciamos porque:

Nosso irmão mais velho, Samuel, chamou atenção no capítulo 8 do seu primeiro livro, como Deus desaprova o governante que não faz outra coisa senão explorar seu povo, despreza sua vida e tem a cabeça na guerra. Pois nós sabemos que Bolsonaro é um homem que não pensa em outra coisa senão em armas, violência, militarização e elogia torturadores.


Nosso irmão Elias foi ameaçado de morte e perseguido, por denunciar os abusos e a agressividade do governos de Acabe e Jezabel. Nós sabemos como Bolsonaro persegue e agride opositores, principalmente jornalistas. Você vê algum ato profético nisso?

A Covid-19 ultrapassou os cinco mil mortos, e Bolsonaro se limitou a dizer apenas “E daí?”, além de colocar a vida de tantas pessoas em risco com suas exposições e zombando da quarentena e do poder letal do vírus. Lembramos do nosso irmão Jeremias, que diante de um contexto de morte e desamparo, se solidarizou e constrangeu a ponto de publicar um livro só sobre suas lamentações e dor, sua dor e a dor do povo.


Nosso irmão Isaías, no capítulo 5 do seu livro, é poderosamente usado por Deus para denunciar latifundiários, poderosos donos de terras, acumuladores de terras. Bolsonaro é um aliado do latifúndio, de garimpeiros que desrespeitam terras indígenas, de fazendeiros que planejam a morte de camponeses. O jejum é a justiça, é libertar o cativo, é acolher desabrigados e amparar desamparados.


Aliás, através de nosso irmão Isaías, Deus foi taxativo sobre o jejum que lhe agrada, e ele não tem nada a ver com o jejum interesseiro e anti-bíblico que Bolsonaro e Marco Feliciano convocaram.


Por fim, lembramos nosso irmão Amós, e ele estava certo quando disse que “não sabem agir com justiça aqueles que amontoam opressão e violência em seus palácios”. É exatamente isto que Bolsonaro e seus filhos tem feito, com este núcleo que, fica cada vez mais evidente, age como um gabinete do ódio. Um grupo que homenageia homens violentos, torturadores, policiais comprovadamente envolvidos com milícias que assassinam e extorquem os pobres do povo do Deus.


Por tudo isto, nós, PROFETAS DO ANTIGO TESTAMENTO, exigimos que o agora ministro se retrate deste vergonhoso pronunciamento. Declaramos: Bolsonaro não é profeta, ele não tem honra, caráter e compromisso coma justiça de Deus para ser um. Conosco está Martin Luther King, Doroth Stang, Chico Mendes, Abdias do Nascimento, Cornel West, Mãe Beata, Zilda Arns, Oscar Romero, Nelson Mandela, Marielle Franco. Entende a diferença? Para nós, Bolsonaro, seus filhos e os pastores que o seguem são ladrões, víboras e traidores da do chamado de Deus à justiça. Assim diz o Senhor. Sem mais.


Assinam: Samuel; Elias; Eliseu; Natan; Isaías; Jeremias; Ezequiel; Daniel; Joel; Amós; Miquéias; Naum; Habacuque; Sofonias; Zacarias; Malaquias.

8 visualizações

© 2018 Grito dos Excluídos

Ligue:

55 (11) 2272-0627

Endereço: 

Rua Caiambé, 126
04264-060 – Ipiranga
São Paulo/SP – Brasil