“Na luta por participação popular, saúde, comida, moradia, trabalho e renda, já!”

27º Grito dos/as Excluídos/as no Brasil 2021 O Grito dos/as Excluídos/as é um processo coletivo e bem participativo, inclusive na definição do lema a cada ano. Desde o início de fevereiro, articuladores e articuladoras de todo o país enviaram sugestões para a definição do lema, eixos e objetivos para o 27º Grito, de 2021. A partir dessas propostas locais, reflexão da conjuntura política, econômica e social e perspectivas de lutas, representantes das entidades que integram a coordenação nacional do Grito, reunidos nos dias 19 e 26 de fevereiro, aprovaram o lema para 2021: “Na luta por participação popular, saúde, comida, moradia, trabalho e renda, já!”. O tema permanente é “Vida em primeiro lugar”. O 27º Grito pretende ser denúncia, anúncio e animação diante da difícil realidade em que vivemos, com o desgoverno e avanço descontrolado da pandemia da Covid 19, da intensificação da fome, da falta de moradia, do desemprego, da violência, do desmonte das políticas públicas. Um momento de anunciar a importância da unidade das organizações e lutadores e lutadoras do povo pela garantia dos direitos sociais básicos - casa, comida, trabalho, terra, renda - e por um novo projeto de sociedade. O Grito incentiva e chama a população para descruzar os braços, descer das arquibancadas, deixar de ser somente plateia - que ora aplaude, ora vaia – para ser sujeito na luta por mudanças. Cada um e cada uma que queira somar e fazer esse processo de construção coletiva do 27º Grito dos/as Excluídos/as, procure a organização/articulação, na sua paróquia, diocese, na sua cidade e ou no seu Estado e faça parte desse grande mutirão. Além do tema e lema, o 27º Grito vai trabalhar com eixos e objetivos orientadores tais como: Terra, território, soberania alimentar; Moradia digna, direito à cidade; Trabalho, emprego, renda; Juventude; Saúde, vacina, SUS; Educação e a retomada das aulas; Democracia, soberania, Privatizações, desmonte do Estado; Militarização; Violência contra a população negra, indígena, mulheres, LGBTQI+, crianças e adolescentes, pessoas em situação de rua, imigrantes.

“Na luta por participação popular, saúde, comida, moradia, trabalho e renda, já!”